saiba como otimizar o chatbot

Oie,

As atividades de curadoria abrangem um campo muito extenso, tanto nos planos cultura, artístico e em outras diversas áreas. “Curar”, nos ensina o dicionário, é cuidar, ter cuidado. É por isso que, seguindo este princípio, o profissional de curadoria  tem tanta importância o processo de otimização e evolução contínua do chatbot. Profissionais da curadoria estudam a fundo a linguagem natural com foco em desenvolver fluxos de alta performance, reduzir ao máximo as interpretações equivocadas e analisar as interações respondidas, de modo a tornar o chatbot cada vez mais efetivo. A partir do momento que o chatbot está em operação, as interações com os clientes são avaliadas, e adaptações da comunicação podem ser realizadas. Também será verificado se as demandas são solucionadas pelo chatbot e em quais assuntos é necessária derivação para o atendimento humano.

Um chatbot tem a incrível capacidade de alavancar negócios, potencializando o trabalho de inúmeros setores da empresa, gerando agilidade no atendimento e na solução do problema. No entanto, para isso ser alcançado, é fundamental ter uma equipe de curadoria que trabalhe incessantemente para mantê-lo atualizado e de acordo com as reais expectativas do cliente

dicas para otimizar o chatbot

A seguir, Marcelo Loiacono, diretor de marketing e novos negócios da XGEN, compartilhou com o GC 6 desafios da equipe de curadoria para otimizar um chatbot. Confira:

1 – Elaborar personalidade do chatbot para conquistar clientes

Definir a personalidade e as características do seu atendente virtual assegura um ganho de credibilidade junto ao público. O desafio aqui é saber com quem o bot vai falar e, daí, definir aparência e tom de voz na construção do banco de dados de seu bot.

2 – Definir a personalização do chatbot alinhada à comunicação da empresa

Deve haver o máximo de cuidado ao criar e manter a personalidade do chatbot. Ele não pode ser frio e robótico, nem caloroso e humano demais. A curadoria deve definir a personalidade do chatbot para estar alinhada à identidade e aos valores da empresa, expressando e traduzindo sua comunicação com o cliente.

3 – Cuidado com a linguagem

Toda informação dada pelo chatbot deve ser clara e não deve gerar várias interpretações. O grande desafio é estruturá-lo corretamente, com diálogos naturais, como de pessoa para pessoa.

4 – Aumentar a eficiência do processo de atendimento

É importante avaliar quais são as APIs e Web Services desenvolvidas e prontas para uso, pois podem já estar disponíveis no ambiente digital da empresa para serviços de autoatendimento e que, por tanto, também podem ser disponibilizados no chatbot, ampliando automatização das interações que podem ser resolvidas sem necessidade da migração ao contato para o atendimento humano. Com isso, aumenta a oferta de serviços transacionais, como segunda via de documentos ou detalhamento de informações, otimizando a resolução dos contatos pelo chatbot.

5 – Investir sempre na melhoria

A coleta e análise de dados é fundamental para entender o usuário final, seus anseios e suas expectativas. Por isso, é indispensável definir perguntas claras e objetivas. É importante também atualizar qualquer automatização de processos da empresa. Isso permite ajustar o chatbot para que ele possa resolver cada vez mais problemas e orientar o consumidor da melhor forma possível.

6 – Criar fluxos de perguntas e respostas

Outro desafio diário da equipe de curadoria é fazer testes percorrendo os mesmos caminhos e fluxos que o usuário faria para descobrir as falhas e os gaps dos assuntos ou temas abordados. Sempre há espaço para melhorar.

dicas para melhorar o chatbot da sua empresa

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
dicas para não errar na hora da contratação

Oie,

Escolher a pessoa certa para ocupar um cargo na empresa é fundamental para o sucesso dos negócios e tem sido o grande desafio da área de Recursos Humanos. O que se quer são colaboradores que façam toda a diferença dentro da organização. Para isso, é necessário que o recrutador conheça profundamente a empresa, as competências e os comportamentos desejados para as vagas. Dessa forma, as chances de uma escolha assertiva serão bem maiores.

Sabemos que treinamentos em vendas são indispensáveis para que os colaboradores possam executar suas funções de maneira cada vez mais eficiente, mas eles nem sempre vão resolver o problema de uma “má” contratação, principalmente quando os valores individuais não combinam com os valores organizacionais.

Neste momento, é necessário entender que é um momento de compra e venda. Não estamos falando de produtos e sim de pessoas, mas de certa forma o candidato está vendendo a qualificação dele e você está comprando esta qualidficação. Você também irá vender os benefícios dessa função e seus desafios.

Se é este momento de troca de informações, é preciso conhecer exatamente os requisitos para a vaga, além de ter perguntas e testes muito bem preparados para escolher a pessoa certa, afinal, as características e habilidades presentes na atuação destes profissionais formam o perfil de vendas e poderão impactar diretamente nos resultados da empresa.

Alinhamento dos valores individuais com organizacionais

O sucesso da contratação depende de uma série de fatores, e entre eles, estão habilidades técnicas e emocionais. E um dos pontos mais importantes para serem avaliados em um processo de contratação é o alinhamento dos valores individuais com os valores organizacionais.

Quando os valores pessoais estão desalinhados com os valores da empresa, a organização passa por uma série de problemas, que vão desde a falha na produção ou entrega de serviços até o mau relacionamento com os clientes.

A divergência de valores é um dos principais motivos de renovação, que é qunado um empregado é admitido e outro desligado de maneira sucessiva. Além disso, uma má comunicação dos valores organizacionais gera falta de motivação, impactando o rendimento da empresa como um todo, o que gera mais custos. É fundamental que no momento da entrevista seja aplicado testes que identifiquem esse alinhamento, como testes de personalidades, valores, integridade, entre outos, segundo Ivan Corrêa, sócio-editor da Posiciona Educação & Desenvolvimento.

saiba como contratar um profissional

Outras etapas que auxiliam no recrutamento são:

Perfil

É muito importante ter em mente que tipo de profissional deve preencher a vaga em aberto, estabelecendo as habilidades técnicas e comportamentais que o candidato deve ter, além da idade, experiência mínima, cursos de formação e pretensão salarial.

Competências necessárias

Cada empresa de vendas necessita de conhecimentos específicos, formações e formas de pensar diferentes. É importante que o RH converse com o gestor da área e estabeleçam quais são as qualidades que o posto exige.

Experiências anteriores

Entender melhor como foram as experiências anteriores do candidato é uma forma de encontrar o perfil ideal. Compreender quais foram os seus desafios e os motivos de suas escolhas na carreira ajudam muito a conhecer o profissional.

Testes

O ideal é separar apenas os testes que identifiquem as competências esperadas para o posto. Para área de vendas, é muito comum o teste que consiste em uma espécie de encenação na qual o candidato tenta vender ao seus entrevistadores o produto que deverá divulgar, caso seja o objetivo.

Aptidões sociais

As habilidades sociais e de interação são competências esperadas do candidato, pois a falta de uma conduta sociável pode afetar negativamente o clima organizacional caso a empresa não valorize essas competências na hora de contratar um funcionário. Dinâmicas em grupos ajudam a identificar. Para área de vendas é importante realizar dinâmicas que façam com que os candidatos demonstrem confiança, clareza nas informações, improviso e uma boa comunicação escrita e verbal.

Atenção às contradições e omissões

É preciso ficar atento à mostra dos candidatos para identificar mentiras, contradições e omissões. Observe se ele apresenta respostas muito genéricas, se tem argumentos mal formulados ou se desvia das perguntas. Quando o candidato olha muito para baixo ou muda constantemente de posição, essa linguagem corporal sinaliza desconforto e revela que ele pode estar mentindo. Contudo, cuidado com o julgamento baseado apenas nessas avaliações subjetivas.

Desenvolvimento do candidato

O teste psicométrico tem como objetivo avaliar a aptidão, a capacidade e os interesses dos candidatos para alguns fatores e devem acontecer de forma padronizada para permitir comparações com outros candidatos, focando nas atitudes, análise de aptidões, competências e traços de personalidade dos profissionais.

Um processo seletivo de sucesso evita muitos problemas futuros e contribui significativamente para os bons resultados do negócio. Apesar de a tecnologia estar aí para nos ensinar cada vez mais sobre a eficiência das máquinas, elas ainda estão sendo conduzidas por pessoas. E, no fim das contas, e até no início delas, são as pessoas que fazem com que uma empresa vá ou não para frente.

saiba como contratar um bom profissional

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
saiba-como-otimizar-o-tempo-no-trabalho

Oie,

Você quer otimizar o tempo no trabalho, para melhorar a produtividade, diminuir o estresse e encaixar outras atividades, mas não sabe por onde começar? Não precisa se precipitar no primeiro livro de autoajuda que você encontrar! Com algumas dicas simples, é possível organizar seu tempo desde já. Veja o que faz mais sentido para você e coloque em prática agora mesmo!

saiba como ser mais produtivo no trabalho

1 – Planejamento é tudo!

Essa regra se aplica para os fãs de organização… e para os alérgicos. Isso não quer dizer que precisa virar escravo da agenda para se beneficiar das vantagens de atividades planejadas. Muito pelo contrário! A base é essa: todos temos momentos do dia de alta e de baixa produtividade. Ou seja, há períodos em que estamos mais dispostos a fazer uma atividade que exige muita concentração, outros em que estamos mais confortáveis a uma tarefa rotineira. Há dias em que queremos pensar sozinhos e há outros que estamos abertos para colaboração.

Essa sequência de fases costuma seguir o mesmo padrão todo dia, com pequenas alterações em função do seu estado de descanso e nível de estresse. Indique primeiro o seu padrão e, no início do dia, ou da semana, planeje as suas atividades. Por exemplo, deixar a redação de um e-mail importante para o fim do dia não é sempre a melhor escolha. O período da manhã costuma ser o mais recomendado para atividades de alta concentração e pode ser considerado um desperdício de tempo usar esse período do dia para colocar os e-mails em dia. Este é apenas um exemplo, cabe a cada um se conhecer e identificar esse padrão!

2 – Saiba diferenciar o importante do urgente

Quantas vezes tempos a impressão de passar o dia apagando incêndios e começar a “trabalhar” de verdade a partir das 5 horas da tarde? Dessa forma, nunca conseguimos parar para planejar a longo prazo, pensar em estratégia, e realmente ganhar em produtividade e alcançar novos objetivos. Para que o tempo seja um parceiro e não um inimigo do seu dia. Uma dica é organizar as nossas tarefas em função da importância e da urgência.

Aloque cada uma das suas tarefas em um dos quatro quadros da matriz e trate cada tarefa com o comportamento adequado. Isso significa, muitas vezes, deixar-os e-mails de lado no início do dia, saber dizer não e resistir à tentação de resolver um problema fácil e rápido. Pode ser que não flua tão naturalmente no início, mas, em breve, perceberá os benefícios para a sua produtividade e o tempo ganho.

3 – Identifique e modele os seus hábitos

Estima-se que 60% das nossas ações ao longo do dia são definidas por um hábito, ou seja, não são decisões conscientes da mente. Alguns desses hábitos são necessários e positivos: escovar os dentes, ligar para a mãe na volta do trabalho, ir para a academia à noite. Porém, não somos sempre conscientes de todos os nossos hábitos e, por consequência, não somos totalmente mestres do nosso tempo. Um primeiro passo para ter consciência e saber como efetivamente você gasta as horas acordadas do seu dia, é descobrir esses hábitos.

É provável que você identifique alguns hábitos inimigos da sua produtividade: entrar nas redes sociais toda vez que tiver o celular na mão, verificar e reponder os e-mails sempre que for sentar na sua mesa no trabalho, sair para o almoço meio dia em ponto porque é o hábito dos seus colegas, mas na realidade, meio dia é um horário de alta produtividade para você, e você sente fome só uma hora mais tarde. Esses são apenas alguns exemplos, é importante identificar os seus próprios hábitos e modelá-los para servir à sua produtividade e ao seu bem-estar.

4 – A importância das pausas

A tentação é grande de querer compactar as horas de trabalho em um bloco único, para poder encaixar outras atividades no seu dia: atividade física, tempo com a família, faculdade. Por isso, você pula o almoço ou recusa o convite para um café com os seus colegas no meio da tarde. Porém, é comprovado que o nosso cérebro se mantém concentrado por um período limitado.

Você tornará mais produtivo, menos cansado e menos estressado implementando pausas programadas na sua rotina: aproveite para caminhar, se hidratar e ter um momento de socialização com os seus colegas.

5 – O peso das interrupções

São as interrupções não solicitadas: uma ligação telefônica, a notificação do e-mail do seu desktop que incentiva você a abrir o e-mail na hora, uma conversa barulhenta dos colegas, ou as interrupções que você mesmo provoca sem perceber, abrindo as redes sociais no meio de uma tarefa.

saiba como ser organizada no trabalho

As dicas são de Amelle Champetier, diretora da Yogist no Brasil.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
5 dicas para se recolocar no mercado de trabalho

Oie,

Em um mercado cada vez mais exigente, é fundamental investir no planejamento.

O ambiente corporativo está cada vez mais exigente. As empresas passaram a diminuir o fluxo de contratações para investir em profissionais multitarefas altamente capacitados. Ou seja, aqueles que seguem em busca de um trabalho tendem a sentir insegurança. Por outro lado, situações como esta pedem calma para conseguir analisar todas as possibilidades e planejamento a fim de estar apto a atingir os objetivos traçados.

saiba como se recolocar no mercado

Pensando em incentivar a trajetória de pessoas a procura de um novo cargo, Ivan Corrêa, sócio-diretor da Posiciona Educação & Desenvolvimento, compartilhou com o GC as cinco principais dicas de recolocação no mercado de trabalho. Confira:

Defina as prioridades

Para ter sucesso em uma recolocação, é fundamental traçar os objetivos de carreira a fim de definir as prioridades profissionais e, consequentemente, facilitar o processo de concentrar os esforços em oportunidades adequadas ao perfil do trabalhador. Neste caso, o ideal é refletir sobre a trajetória individual com o intuito de avaliar conquistas, pontos negativos e aprendizagens.

Seja atrativo

O currículo é a porta de entrada para as organizações. Neste contexto, excelentes profissionais são descartados no processo de recrutamento por apresentarem um conteúdo em desacordo com a oportunidade de emprego. Na prática, o material deve ter um design clean com, no máximo, duas páginas que destacam as experiências mais relevantes para a posição a ser aplicada. Outra sugestão que faz a diferença nesta ação é utilizar palavras-chave capazes de remeterem a vaga. Por fim, é importante atentar-se aos erros gramaticais que podem comprometer a imagem do candidato.

Alimente um bom networking

Muitas vezes os profissionais sentem-se envergonhados em assumir aos amigos e conhecidos que estão em busca de uma nova colocação no mercado de trabalho. Contudo, é justamente esta iniciativa que pode render-lhes as primeiras oportunidades. Logo, é imprescindível alimentar uma rede de relacionamentos por meio de telefonemas e encontros descontraídos com pessoas em ambientes de interesse do profissional.

Atualizar-se

A habilidade de aprendizagem contínua é uma exigência para qualquer pessoa (com emprego ou não), pois é um meio de continuar em alinhamento com as últimas novidades do mercado. Neste sentido, é possível usar o tempo livre para dedicar-se a participação em workshops, cursos, palestras e eventos da área de interesse. No final das contas, o comportamento demonstra que mesmo sem um emprego formal o profissional tem dedicação e está disposto a abrir-se ao aprendizado.

Abra a mente

Os serviços fixos nem sempre são tão fáceis de encontrar. Por esta razão, é imprescindível abrir a mente para saídas alternativas como é o caso das vagas temporárias. Antigamente, esta espécie de emprego era de exclusividade dos períodos sazonais. Mas hoje em dia, acontecem com maior frequência devido aos projetos pontuais das empresas. Entre os benefícios deste trabalho encontram-se: possibilidade de contratação, oportunidades futuras, ampliação de networking e impulsionamento do portifólio.

mercado de trabalho

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post