5 dicas para se recolocar no mercado de trabalho

Oie,

Em um mercado cada vez mais exigente, é fundamental investir no planejamento.

O ambiente corporativo está cada vez mais exigente. As empresas passaram a diminuir o fluxo de contratações para investir em profissionais multitarefas altamente capacitados. Ou seja, aqueles que seguem em busca de um trabalho tendem a sentir insegurança. Por outro lado, situações como esta pedem calma para conseguir analisar todas as possibilidades e planejamento a fim de estar apto a atingir os objetivos traçados.

saiba como se recolocar no mercado

Pensando em incentivar a trajetória de pessoas a procura de um novo cargo, Ivan Corrêa, sócio-diretor da Posiciona Educação & Desenvolvimento, compartilhou com o GC as cinco principais dicas de recolocação no mercado de trabalho. Confira:

Defina as prioridades

Para ter sucesso em uma recolocação, é fundamental traçar os objetivos de carreira a fim de definir as prioridades profissionais e, consequentemente, facilitar o processo de concentrar os esforços em oportunidades adequadas ao perfil do trabalhador. Neste caso, o ideal é refletir sobre a trajetória individual com o intuito de avaliar conquistas, pontos negativos e aprendizagens.

Seja atrativo

O currículo é a porta de entrada para as organizações. Neste contexto, excelentes profissionais são descartados no processo de recrutamento por apresentarem um conteúdo em desacordo com a oportunidade de emprego. Na prática, o material deve ter um design clean com, no máximo, duas páginas que destacam as experiências mais relevantes para a posição a ser aplicada. Outra sugestão que faz a diferença nesta ação é utilizar palavras-chave capazes de remeterem a vaga. Por fim, é importante atentar-se aos erros gramaticais que podem comprometer a imagem do candidato.

Alimente um bom networking

Muitas vezes os profissionais sentem-se envergonhados em assumir aos amigos e conhecidos que estão em busca de uma nova colocação no mercado de trabalho. Contudo, é justamente esta iniciativa que pode render-lhes as primeiras oportunidades. Logo, é imprescindível alimentar uma rede de relacionamentos por meio de telefonemas e encontros descontraídos com pessoas em ambientes de interesse do profissional.

Atualizar-se

A habilidade de aprendizagem contínua é uma exigência para qualquer pessoa (com emprego ou não), pois é um meio de continuar em alinhamento com as últimas novidades do mercado. Neste sentido, é possível usar o tempo livre para dedicar-se a participação em workshops, cursos, palestras e eventos da área de interesse. No final das contas, o comportamento demonstra que mesmo sem um emprego formal o profissional tem dedicação e está disposto a abrir-se ao aprendizado.

Abra a mente

Os serviços fixos nem sempre são tão fáceis de encontrar. Por esta razão, é imprescindível abrir a mente para saídas alternativas como é o caso das vagas temporárias. Antigamente, esta espécie de emprego era de exclusividade dos períodos sazonais. Mas hoje em dia, acontecem com maior frequência devido aos projetos pontuais das empresas. Entre os benefícios deste trabalho encontram-se: possibilidade de contratação, oportunidades futuras, ampliação de networking e impulsionamento do portifólio.

mercado de trabalho

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
conquiste seu espaço no trabalho

Oie,

Seis pequenas atitudes que vão transformar a sua vida no trabalho. As dicas foram retiradas do livro “O poder das pequenas mudanças” (Editora Alaúde), de Margaret Heffernan, empresária e palestrante do TED.

Que tal novas atitudes que farão toda a diferença em sua vida profissional?

Hábitos simples e valores novos na rotina de trabalho podem gerar um impacto extremamente positivo nas organizações e aumentar a qualidade de vida dos funcionários, refletindo em suas vidas sociais e em suas famílias.

seja uma profissional de sucesso

Confira abaixo 6 dicas:

1 – Aprenda a ser um profissional monotarefa

Tentar fazer tudo transforma as pessoas multitarefa em editores ruins. Aqueles que tentam ser multitarefa constantemente acham difícil ignorar informações relevantes e demoram mais para se movimentar entre as tarefas. O modo como trabalhamos cria o seu próprio círculo de feedback: quanto mais atenção tentamos prestar a tudo, menos discernimento teremos. Quando focamos em algo, aprimoramos nossa concentração e nos lembramos do que fizemos. Sentido-nos menos exaustos. Então, a monotarefa – focar em uma só tarefa por vez – não é apenas mais eficiente, ela também nos torna mais capazes de usar o conhecimento que obtivemos.

2 – Hora demais, produtividade de menos

Consideramos que trabalhar à noite é heroísmo, jornadas longas são interpretadas como comprometimento. Porém, a produtividade não é linear. Podemos trabalhar bem durante 40 horas por semana, mas não mais do que isso. Depois de 40 horas, ficamos cansados e cometemos erros e precisamos de mais tempo para consertar a confusão que fizemos. Após um estudo realizado durante 40 anos com funcionários públicos, foi constatado que, a longo prazo, a jornada de trabalho estendida causa os seguintes efeitos: trabalhar por 11 horas ou mais por dia dobra o risco de depressão. Uma jornada de trabalho de 55 horas semanais causa perda-cognitiva já na meia idade, incluindo diminuição do vocabulário, raciocínio, processamento de informação, capacidade de solucionar problemas, criatividade e tempo de reação. Essa deficiêinca cognitiva leve era também um prognóstico de demência e morte precoce.

3 – Saia para caminhar

Estudos mostraram que a criatividade aumenta quando tiramos uma folga. Quando distanciamos o olhar do trabalho e fazemos algo simples, como uma caminhada, acessamos outras partes do cérebro que nos ajudam a encontrar os insights que necessitamos para chegar ao entendimento ou à solução de um problema. Seja ao ar livre ou na esteira, já foi comprovado que caminhar melhora a geração de ideias nova e úteis. Por isso, antes um brainstorming, quando você ficar emperrado em um problema, ou só porque precisa de uma pausa colocar as ideias no lugar, saia para uma caminhada. Fazer uma caminhada de meia hora pode ser mais produtivo do que ficar até tarde no trabalho.

4 – Perguntas melhores, decisões melhores

As perguntas são o corpo e a alma do conflito construtivo. Elas abrem caminho para o debate, que, quando bem feito, nos ajuda a ver o que tendemos ignorar, desafiando-nos a pensar melhor, pensar de outra forma. No caso de decisões críticas, é recomendável nomear um “advogado do diabo”, alguém cuja tarefa será questionar para obter a desconfirmação, defender posições opostas e trazer à tona os dados e argumentos que foram deixados de lado.

5 – Tire o melhor proveito dos erros

Ninguém está isento ao erro. Entretanto, a forma como encaramos pode ser feita de forma positiva e produtiva. Se bem-intencionados, os erros não são motivos de vergonha, mas de aprendizado. Uma ideia legal que vale a pena ser compartilhada aqui, é de empresa que implantou o “grande livro negro”, sempre que se cometia um erro, independente do nível hierárquico, a pessoa que o cometeu fazia uma anotação nele. Os novos funcionários liam o livro negro ao ingressarem na empresa. Assim, um simples livro compartilha o aprendizado com os erros, para que eles não sejam repetidos, e transmite uma mensagem poderosa: todos erram. Poder e status não conferem inefabilidade, os erros são a via crucis do progresso.

6 – Não leve trabalho para casa, nem para suas folgas e férias

Pode parecer estranho, mas para algumas pessoas, se desligar do trabalho exige um sacrifício sobre-humano. Mas como em qualquer forma de vício, há diferentes formas para você se “desintoxicar”. Por isso, desabilite os e-mails e até mesmo exclua seu e-mail profissional do celular durante as férias. Essas são atitudes recomendáveis para que o período de descanso seja realmente reparador.

dicas para ter mais sucesso profissional

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
dicas para mudar de carreira

Oie,

O número de profissionais que estão insatisfeitos com a carreira e que desejam fazer uma transição de mercado é impressionante.

No Brasil fazemos a nossa escolha de carreira muito antes de conhecermos o mercado de trabalho e entendemos com profundidade toda a complexidade que envolve tomar essa decisão. A maioria dos jovens escolhe o curso superior antes de completar 18 anos e antes de ter tido tempo e experiência de vida para fazer tal escolha.

8 dicas para fazer uma transição de carreira

Apesar de parecer um problema pequeno, já que ao escolhermos muito cedo, e sem grande bagagem para comparação fazemos, muitas vezes, a escolha errada e acabamos frustrados e infelizes em nossas profissões. O sucesso profissional exerce grande influência em nossa felicidade. Por isso, Dalton Morishita, headhunter na Trend Recruitment compartilhou 8 dicas indispensáveis para quem está procurando fazer uma mudança na carreira.

1 – Autoconhecimento: Não se vai muito longe em uma mudança profissional se não se dedicar um bom tempo e energia para o autoconhecimento. Em um momento de transição de carreira é importante ter em mente quais são suas competências, características, habilidades, comportamentos e personalidade. Mais do que isso, é indispensável saber o que te faz feliz e que tipo de pessoa você se orgulha de ser. Depois de mergulhar nessa fase de autodescoberta descubra como você pode usar cada uma dessas informações em sua vida profissional. A sua mudança de carreira deve estar alinhada ao seu propósito de vida e aos seus valores.

2 – Planejamento: A segunda dica é desenhar um planejamento de carreira. Saber o que deseja para a vida profissional pode parecer uma pergunta intimidadora, principalmente porque escolhemos nossa profissão muito cedo. Mas uma vez decidimos pela transição precisamos estar preparados. Fazer uma reserva financeira, deve ser uma de suas prioridades, uma vez que optando por começar de novo você certamente sofrerá um downgrade de cargo e salário. O tempo será um dos maiores desafios, já que a transformação não será de um dia para o outro. O profissional também precisa se preparar para investir em capacitação e aprimoramento de suas habilidades.

3 – Mercado de trabalho: Antes de bater o martelo sobre a mudança é importante observar o mercado de trabalho e o cenário econômico como um todo. A transição de carreira acontecerá de maneira mais suave quando o mercado estiver aquecido e a demanda por profissionais crescer. É claro que é impossível controlar cada detalhe, mas ficar atento a um timing mais favorável é uma maneira de aumentar suas chances de sucesso.

4 – Amplie sua chances: Ter uma poderosa e ativa rede de networking talvez seja a dica mais importante. Manter o networking aquecido, sem dúvida, é a melhor maneira de encontrar uma nova colocação no mercado e, portanto, é também a maneira mais fácil de criar pontes para a nova carreira. Comece com as pessoas mais próximas, amigos e colegas, pessoas com quem trabalhou no passado e até profissionais que já cruzaram a linha de chegada dessa transição profissional. A primeira camada da sua rede precisa saber quais são suas novas aspirações. Intensificar atividades nas redes sociais é o segundo passo.

5 – Que seja para melhor: Se é para mudar que seja para melhor. Não apenas a potencialidade de carreira e ganhos financeiros. A sua transição deve lhe trazer mais felicidade. Essa pode ser uma medida subjetiva de sucesso, mas qualidade de vida, sucesso e satisfação são fatores pessoais e cada um deve conhecer o seu. Certifique-se de que você está fazendo uma mudança para melhor e já que essa transformação é uma decisão pessoal, aproveite para adicionar mais equilíbrio em sua vida.

6 – Comemore as pequenas vitórias: Para mudar de carreira, o primeiro passo é escolher qual será a nova ocupação e se dedicar a investir em conhecimento técnico e requisitos para esse novo cargo. Como a transição é lenta, o profissional pode planejar a mudança em etapas e, tão importante quando ter foco e mirar alto é comemorar os pequenos passos e ser grato por cada conquista, por menos que seja. Depois de decidir sobre a nova direção, fracione as ações em passos menores. Essa é uma maneira muito inteligente de ver a mudança acontecendo mesmo antes da transição completa ocorrer.

7 – Certeza X Frustração: É fato que mesmo com tudo planejado algumas coisas vão dar errado e não vão acontecer na mesma medida de sua expectativa. Portanto, tenha convicção sobre sua decisão, mantenha o foco e aprenda a lidar com a frustração, não desista só porque obstáculos apareceram no meio do caminho. Quanto maior for sua segurança sobre a decisão que tomou, mais motivado você estará para continuar tentando mesmo diante de toda adversidade que possa surgir.

8 – Nunca é tarde: Não importa quantos anos você tem, quantas vezes recomeçou, quantos anos está na mesma área. Uma vez que a sua felicidade esteja em outro lugar não tenha medo de ir encontrá-la. Nunca é tarde! A zona de conforto é uma armadilha, uma ilusão. Para crescer na carreira, ou para ser feliz, precisamos de um relativo de estado de desconforto. Portanto, estar insatisfeito com a vida profissional talvez seja o seu gatilho para buscar a mudança e, finalmente, conquistar o que deseja.

Não tenha medo de mudanças, elas são parte importante de nossas vidas e carreiras.

como mudar de carreira

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
ganhe da concorrência

Oie,

Para se destacar no mercado é preciso se tornar cada vez mais relevante e construir uma reputação que gere credibilidade. O desafio é comum tanto para profissionais liberais, prestadores de serviços quanto para grandes marcas.

Prestadores de seviços que utilizam a internet costumam sofrer muito com a concorrência e acabam se vendo presos na política de preços. Algumas das profissões mais comuns nesse mercado são as de coach, professor, personal traineer, designer, consultor e nutricionista, mas as possibilidades são muitas, e o grande desafio é se destacar e construir autoridade.

Segundo Felipe Camargo e  Nathana Lacerda, especialistas em imagem e reputação, existem cinco passos fundamentais para quem deseja se diferenciar e ganhar da concorrência.

destaque-se da concorrência

1 – Fazer o que ninguém faz: É importante descobrir um tipo de serviço ou uma maneira de fazer que ninguém mais faz. Todo mundo é personal trainer, mas se ninguém dá uma aula tão animada como você, isso pode estar no seu posicionamento. E você também pode escolher dar foco apenas a mulheres com mais de 40 anos que buscam perder peso. É fundamental definir algo que deixe claro a todos o serviço oferecido, e assim as pessoas vão saber que não vão encontrar a mesma coisa em um concorrente.

2 – Mostrar os resultados: Muito importante mostrar na comunicação que os atuais clientes estão satisfeitos e passando pelas transformações prometidas. Valorize os comentários e depoimentos espontâneos nas redes sociais, e não tenha medo de divulgar a satisfação dos seus clientes. Se puder, grave vídeos! Não precisa ter medo de pedir para os clientes gravarem vídeos com depoimentos que contem suas mudanças, e publique esses vídeos no seu site para provar que o seu trabalho faz diferença.

3 – Saiba o que comunicar: As roupas que vestimos e tudo que compõe nossa imagem são fatores fundamentais para que um empreendedor se comunique com o público que deseja. Se você é uma pessoa feliz e criativa não pode usar roupas muito sérias, e se você quer conquistar um público jovem, precisa ter elementos que se conectem com eles. As pessoas são fortemente impactadas pela imagem que possuem de alguém, e formam uma opinião sobre as pessoas em apenas 5 segundos. Definir a forma como se vestir está bem longe de ser algo fútil como tantos pensam.

4 – Faça contatos com as pessoas certas: Os experts que vão oferecer um Workshop gratuito com os segredos para se tornar o número 1 do mercado, contam a importância de se conectar com outras pessoas. É preciso saber a melhor forma de se apresentar às pessoas e de gerar valor a elas. Só assim você vai conseguir mostrar que tem uma conexão verdadeira, e esse tipo de contato vai permitir que você consiga fazer novos negócios.

5 – Faça escolhas para as redes sociais: Por fim, o design, a linguagem e a consistência da comunicação nas redes sociais é fundamental para destacar os serviços oferecidos com clareza. Você não precisa estar em todas as redes ou sair postando tudo o que quer, sem pensar. O certo é definir as redes sociais mais importantes, onde estará o público-alvo, e definir qual conteúdo vai gerar valor e dar mais resultados.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post