Oie,

Dormir melhor significa ter uma vida mais saudável, o que impacta na reposição de energia para as demandas do dia a dia, assim como na melhora do humor e na qualidade da saúde mental. O tema, que parece simples, é um sofrimento para um terço da população brasileira. 

Atualmente somos 73 milhões de brasileiros que sofrem com problemas de insônia, segundo a Associação Brasileira do Sono.

Da insônia no curto prazo, causada por stress ou algum evento traumático, até o problema crônico, quando as pessoas já estão há, no mínimo, três meses sem dormir direito, que pode ser ocasionado por dores ou alterações psicológicas, como depressão ou ansiedade, o fato é que este mal pode ser amenizado com mudanças de hábitos que mantemos durante o dia.

A Dra. Verena Senn, PHD em neurociência, especialista em sono e Expert Research na Emma Colchões Brasil, statup global voltada à tecnologia do sono, diz que temos rotinas diárias que nem imaginamos o quanto impactam na nossa noite ao dormirmos, comprometendo o sono revigorante que precisamos ter para enfrentarmos cada novo dia de forma disposta e saudável. 

Confira 5 dicas de comportamentos diários que impactam numa boa noite de sono:

 – A primeira dica é evitar tomar café após ãs 15h. A cafeína fica até 12 horas presente no nosso organismo, podendo atrapalhar o relaxamento do corpo na hora de dormir.

 – O consumo de bebidas alcóolicas, apesar de darem uma sensação de sonolência, suprime uma importante função do sono, que é arrumar as memórias e os conhecimentos adquiridos durante o dia.

 – Alimentar-se perto da hora de dormir pode causar desconforto e refluxo. Evite também chocolates escuros à noite, que aumentam  a concentração, assim como os abacates, que deixam nosso corpo em estado de alerta em função da melhora na absorção dos nutrientes em virtude dos níveis de gordura saudáveis que ele concentra. Outros alimentos que nos mantém mais acordados são a banana e o iogurte, que ajudam a combater a fadiga e criam uma explosão de energia no corpo após comemos. Evite-os!

 – Um alimento que ajuda no sono é o arroz branco, uma escolha muito popular para o jantar. O carboidrato, somado a nutrientes como folato e manganês, resulta numa combinação de elevado índice glicêmico, aumentando a qualidade do sono. As amêndoas, assim como o leite, também são ótimos nutrientes para aumentar os níveis de melatonina, trazendo uma noite de sono mais profunda e prolongada.

 – Na hora de dormir, há alguns fatores que devemos levar em consideração, como a temperatura do ambiente, a exposição à luz e, por último, mas não menos importante, a qualidade do colchão. As temperaturas elevadas prejudicam a qualidade do sono, sendo o ideal manter um ambiente perto dos 19 graus. Já a exposição à luz intensa, como a luminosidade de um aparelho de televisão ou o celular, que virou o livro de cabeceira das pessoas, interferem na produção de melatonina, atrapalhando na indução do sono. Quanto ao colchão um cama adequada é sinônimo de um sono perfeito. A firmeza de um colchão, associado a materiais respiráveis, que permitam a diminuição da temperatura do corpo, assim como as espumas que contornam o corpo, mas ao mesmo tempo dão apoio ergométrico, são dicas essenciais para um sono profundo e revigorante.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
férias de julho

Oie,

Para o alívio das crianças, as férias de julho já está batendo na porta, porém muitos pais têm dúvidas do que pode ou não fazer.

férias escolares

Confira algumas dicas para aproveitar esse tempo:

1 – Pausa nos estudos: O período de férias foi programado para que os alunos tenham um respiro não só dos estudos, como também da rotina de ficar grande parte do dia dentro de sala de aula. A prioridade deve ser descansar e não estudar, pois o semestre exige muito dos alunos. Com excessão das situações exclusivas, como vestibulandos ou alunos com alguma reprovação e dificuldade. Neste caso eles não podem perder o ritmo, mas nada exagerado.

2 – Tudo diferente: Os alunos devem fazer atividades diferentes daquilo que estão habituados, uma vez que as férias representam uma oposição ao período de estudos. Como nos períodos das aulas os alunos ficam com pouco movimento, o ideal é que eles não fiquem só trancados em casa, jogando video game e mexendo no computador. Importante que eles façam passeios, esportes e conheçam lugares novos.

3 – Equilibrar com o lazer: Apesar das férias focarem no descanso, é sempre bom fazer atividades educativas e revisar o conteúdo na última semana antes da volta às aulas. O aluno não deve ficar saturado, mas também não deve voltar de paraquedas para as aulas, é preciso voltar um pouco à rotina antes, conscientizar de que as aulas estão chegando e que precisam se acostumar com o ritmo. As férias são um momento de dar uma espairecida, não ficar forçando todo dia. Descarregar essa sobrecarga do período de aulas aumenta a capacidade de absorção no retorno.

4 – Atividades com as crianças: A dica é levar as crianças e adolescentes para fazerem atividades ao ar livre, viagens, conhecerem lugares novos, irem a parques e museus. No período de aula eles conhecem as coisas através dos livros, do computador. Então, nas férias, o ideal é proporcionar conhecimento de uma forma mais expansiva, do lado de fora da sala de aula. O ideial é que sejam atividades que possam despertar interesses e ampliem a cultura e referências dos pequenos. O papel dos pais durante as férias está em promover conhecimento, mas não daquela forma didática, lendo, estudando e decorando, mas de uma forma diferente e aberta.

5 – Disciplina: É comum que os pais relaxem com os horários e com a rotina durante o período de férias. Mas é preciso manter um ritmo principalmente com as crianças pequenas. Elas não devem dormir cedo e acordar cedo em função da aula. Mas dormir super tarde e jogar video game o dia todo, faz com que as crianças não tenham limites. Ter uma rotina é necessidade delas, independente da escola, rotina organiza a vida da criança.

Boas férias e espero que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
dicas para acabar com o estresse

Oie,

Estresse todo mundo tem, é uma reação natural do corpo a alguma ameaça externa. Desde o tempo das cavernas, ele atua em benefício do ser humano, já que, quando o homem precisava caçar, o estresse preparava o seu corpo para que tivesse mais foco e mais reflexos. É isso mesmo: nos momentos certos, o estresse é positivo. O grande problema é que, atualmente, ocorre com tamanha frequência que acaba sobrecarregando o organismo e prejudicando a saúde.

Os fatores que geram o estresse já são bem conhecidos por muitos. Os mais comuns são as preocupações, a falta de tempo e os problemas familiares. Já os efeitos são bem variados: dor de cabeça, tensão ou dor muscular, fadiga, distúrbios de sono, raiva, ansiedade, falta de motivação, falta de foco, irritabilidade e etc.

O estresse pode ser bem leve, mas que, se acumulado e não receber nenhuma intervenção, ele acaba com a nossa saúde. É uma preocupação aqui, outra ali, dificuldades na carreira, problemas financeiros ou de relacionamentos que fazem com que o problema se agrave. Não espere chegar ao mais elevado nivel de estresse para começar a pensar em qualidade de vida. Crie um plano de ação na sua agenda e estipule tarefas para melhorar o seu dia a dia.

acabe com o estresse

1 – Aceite o problema: Ter estresse não é o fim do mundo, qualquer pessoa está sujeita a momentos de estresse na vida. Portanto, é fundamental que você aceite isso e previna-se. Deixar para mudar só depois que está doente pode ser tarde demais. Admitir o problema ajuda a tomar a atitude de mudar. Negar só vai prejudicar.

2 – Seja mais produtivo: Quanto mais tempo você tiver para aquilo que você realmente gosta de fazer, menos estresse você terá. Com tempo disponível, consegue ir ao médico, praticar esportes, sair com os amigos, se dedicar mais a família e aos sonhos. É outra vida.

3 – Invista nos seus hobbies ou na sua fé: Você precisa ter uma válvula de escape, algo que te ajude a se sentir melhor ao investir o seu tempo. Pode ser um hobby, um esporte, uma prática religiosa, meditação ou qualquer outra coisa que o deixe mais concentrado. Só você pode descobrir o que fazer, portanto não espere isso cair do céu. Saia do lugar e tente encontrar o melhor “remédio natural” pra você.

4 – Faça diferente: De nada adianta saber que está estressado e continuar insistindo naquilo que está minando sua resistência. É necessário fazer alguma mudança, pode ser na alimentação, no seu estilo de vida ou no trabalho. A regra é óbvia, se você fizer as coisas do mesmo jeito, seu estresse permanecerá. Defina as suas áreas de mudança e comece algo novo.

5 – Procure ajuda: Não tente enfrentar estresse sozinho. Cercado de pessoas que gostam de você, fica mais fácil resolver o problema. Converse com o seu chefe, familiares ou amigos. Peça ajuda para marcar médicos, para acompanhá-lo nos exames, para fazer algo diferente, para ir com você a academia ou simplesmente para aproveitar mais a vida.

6 – Nem tudo é tão grave quanto parece: Que muita gente faz tempestade em copo d’água é inegável. Quantas tarefas urgentes não são tão urgentes assim? Quantas situações que até então não eram complicadas, tomaram proporções gigantes de repente? A próxima vez que surgir um problema, analise com objetividade em vez de alimentá-lo. Um pouco de leveza ajuda muito a reduzir o estresse e a focar nos pensamentos em atitudes mais relaxantes.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post