como saber se o pet está doente

Oie,

A maioria dos tutores dos animais consideram seus pet como membros da família e cuidam com atenção para que eles tenham vida longa e com qualidade.

No entanto, uma das preocupações é identificar quando os fiéis companheiros estão sentindo dor.

como saber que o pet estava doente

Segundo a médica-vetrinária Karin Botteon, coordenadora técnica especialista da Boehringer Ingelheim Saúde Animal, é preciso estar atento a sinais sutis de comportamento, tais como:

– Apatia e perda de apetite

– Inatividade e/ou intolerância a exercícios

– Relutância ou dificuldade para caminhar, subir escadas e pular

– Falta de interesse em brincar/passear

– Distúrbios de eliminação, ou seja, defecar ou urinar em lugares inadequados

– Mudança nos hábitos de higiene (no caso dos gatos, que param de lamber/limpar)

As dores agudas, decorrentes de um trauma, por exemplo, geralmente são fáceis de identificar porque os tutores estão atentos e esperando alterações diante do ocorrido: os animais geralmente vocalizam, também o local acometido, demonstram algum incômodo. No entanto, em processos crônicos como no caso de uma doença articular degenerativa (que envolve as articulações), a manifestação é muito mais comportamental, sendo necessário se atentar aquelas alterações. Desse modo, é fundamental observá-los e conhecê-los bem.

O tratamento da dor geralmente é multimodal, ou seja, pode demandar o uso de medicações, terapias de suporte como acupuntura e fisioterapia, e também o manejo do ambiente no qual vive o animal. As medicações mais utilizadas para o controle da dor são os analgésicos e os anti-inflamatórios, que serão prescritos de acordo com a necessidade de cada paciente e do seu estado de saúde. É importante reforçar que devemos sempre consultar o médico-veterinário ao menor sinal de mudança comportamental, e não medicar o pet sem prescrição médica.

saiba se o seu pet está doente

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
deixe seu gato limpinho

Oie,

Os dias mais frios chegaram e alguns cuidados precisam ser tomados na hora do banho do pet, principalmente com os gatos.

Quem já tentou dar banho em gatos sabe que a missão não é tão simples, já que a maioria deles não gostam nem um pouco de entrar na água para aquela sessão de limpeza. Mas, diferente dos cães, eles não precisam tomar banhos regularmente, pois conseguem se manter limpos sozinhos. O que pode exigir um cuidado maior com a higiene são momentos pontuais, como, por exemplo, quando o felino brinca com terra.

Para esses casos, você pode optar pelo banho a seco que, além de limpar, evita o estresse do animal e o seu também. O banho a seco para gato é uma opção que, além de manter o animal sempre limpo e evitar situações de irritação, também economiza água e é uma ótima alternativa para dias mais frios.

saiba como cuidar dos pelos dos gatosPor isso, quando precisar fazer a higiene do seu companheiro, siga esse passo a passo do banho seco para os felinos que o Marcello Machado, médico veterinário da Max Cat compartilhou com a gente:

Você vai precisar de:

 – Lenços umedecidos para gatos (é importante que sejam específicos para o uso animal);

 – Algodão;

 – Produto para banho a seco em gato (peça orientação ao veterinário sobre qual é o mais indicado para seu felino);

 – Toalha seca;

Banho:

Use os lenços umedecidos: Comece uma limpeza por todo o corpo do gato com os lenços úmidos e tenha cuidado de tirar a parte mais evidente da sujeira. Dê bastante atenção às patas, genitais e todas as dobrinhas que tiverem sujeiras. Nesse momento é importante não se estressar e não passar nervosismo, tente levar como uma brincadeira com o gato. Para isso, vale usar alguns brinquedos e dar muito carinho.

Cuidar dos pelos do gato: Chegou o momento de cuidar dos pelos. Escolha um produto específico para o gato, pois sabemos que ele irá lamber e acabará ingerindo a substância que foi aplicada. Pegue o spray e borrife por todo o corpo do seu amigo, sempre tomando cuidado para não atingir seus olhos. Use uma toalha seca para espalhar o produto no pelo e, caso o gato tenha o pelo comprido, substitua a toalha por uma escova e vá passando no sentido contrário do pelo.

Para finalizar, pode usar um secador de longe e ir fazendo a escovação no sentido do pelo. Esse processo irá retirar a sujeira, evitando doenças de pele como pulgas e outros problemas que podem prejudicar a saúde do seu pequeno.

saiba como dar banho a seco nos gatos

Seguindo todos os passos, você verá que é fácil deixar o felino limpo sem passar pelo estresse da água.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
cachorros filhotes

Oe,

Até o primeiro ano de vida, os filhotes precisam de atenção especial para que possam se desenvolver perfeitamente. Para que eles continuem crescendo felizes e saudáveis, é indispensável respeitar alguns cuidados, seja com cães ou gatos.

cães filhotes

Os animais de estimação são considerados filhotes até completarem por volta de um ano de idade. Raças menores entram na maturidade um pouco antes, enquanto que as raças gigantes passam por essa mudança até um ano e meio de vida.

Durante todo esse período, os pets estão se desenvolvendo, mas também estão na fase mais vulnerável de sua vidas. Tudo isso demanda uma série de responsabilidades por parte dos tutores.

saiba tudo sobre o maltês

Ambiente

Logo após o nascimento e nos primeiros dias de vida o pet ainda está se acostumando com o ambiente fora da barriga da mãe. Esse processo é gradual e é por isso que no início deve-se providenciar um local aconchegante para o filhote.

Preparar uma área coberta com jornais, cobertores e toalhas macias à meia luz e deixar o ambiente aquecido, principalmente nos dias frios. Os pequenos nascem sem saber como regular a temperatura e podem morrer devido ao frio.

Alimentação

A primeira alimentação dos animais de estimação dever ser, preferencialmente, o leite materno. Cães devem mamar por pelo menos 30 dias, enquanto que os gatinhos por 45 dias.

Se a mãe não puder amamentar, é essencial providenciar uma fórmula com o veterinário, pois ela fornecerá todos os nutrientes que o pet precisa para os primeiros dias de vida. Em média, ela deve se alimentar a cada três horas.

Após esse período, comece a introduzir alimentos macios e só então os sólidos, como a ração, que deve ser especial para filhotes – para os gatos, opte pela ração úmida. Esse deve ser o único alimento que o seu pet vai comer, exceto em caso de o veterinário recomendar algum complemento.

Alem disso, os animais devem ter sempre água fresca e limpa à disposição.

Necessidades fisiológicas

Adestrar um gato para fazer xixi e cocô no lugar certo é muito fácil. naturalmente eles buscam um local com terra ou areia para isso. Portanto, basta deixar a caixa sanitária no melhor lugar para o tutor e para o pet.

O segredo para que a adaptação seja feita rapidamente é encontrar a caixa e a areia de preferência do gato. Procurar testar alguns modelos e marcas diferentes para isso. No caso dos cães, o melhor é começar a educa-los desde o primeiro mês de vida. O ideal é que ele fique preso em local próximo ao lugar em que deve se aliviar – com em cima do jornal, do tapete higiênico ou perto da grama do jardim.

Sempre que o tutor o vir realizando as necessidades no local correto, deve-se elogiar e brincar com ele.

Após duas ou três semanas, o animal tende a aprender o local certo e a pessoa pode liberá-lo para explicar a casa. Se perceber que ele está rodando e cheirando o chão, leve-o ao seu “banheiro”. Faça isso também a cada duas horas. Em pouco tempo ele aprenderá a lição.

Vacinação e vermifugação

O ideal é que os animais recém-nascidos recebam a visita de um veterinário logo na primeira semana de vida para verificar o seu estado de saúde. Se o profissional identificar algum problema, ele pode solicitar exames e consultas na clínica.

Além disso, o veterinário poderá auxiliar com o calendário de vermifugação e vacinação.

Dentição

Entre os cuidados com filhotes, os dentes merecem atenção, pois, assim como os seres humanos, os pet não nascem com dentes definitivos. Ao longo dos primeiros meses, eles passam pela troca da definição.

Os filhotes começam esse processo em torno dos quatro meses de idade. Os primeiros a cair são os dentes da frente. Durante esse período, o filhote pode ter sangramento na gengiva, desconforto e coceira, o que é normal.

Outro cuidado com os dentes dos animais de estimação é a escovação. Deve-se escovar os dentes do pet por toda a vida e o ideal é começar a manusear sua boca e implementar esse hábito desde cedo.

Brincadeiras

Assim que abrem os olhos e aprendem a andar, os filhotes já estão prontos para brincar.

As atividades são muito importantes para estimular seu desenvolvimento, portanto, oferecer uma bolinha, uma corda ou pelúcia deixará que o bichinho destrua móveis e objetos ou comece a arranhar e morder as pessoas.

Além das brincadeiras, não esqueça que os filhotes precisam de muito amor e carinho.

gato filhote

Dra. Livia Romeiro, veterinária e especialista em comportamento canino do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post