onde é melhor criar os filhos. casa ou apartamento

Oie,

Se existe um tema em que os pais de hoje em dia se preocupam, eu com certeza diria que está relacionado a escolher o melhor ambiente para criar os seus filhos.

E foi justamente pensando nisso, que desenvolvemos esse conteúdo, que visa tirar todas as suas dúvidas sobre o tema.

Espaços maiores ou espaços bem aproveitados? Conheça alguns pontos importantes na hora de decidir.

Qual é o melhor tipo de moradia para famílias com crianças pequenas? Apartamentos podem ser uma escolha assertiva para quem é solteiro. Ao menos, costumava ser assim. Mas será que é uma boa ideia quando o assunto é a criação dos filhos? Continue lendo e ao fim você vai saber se o melhor é casa ou apartamento.

o que é melhor, casa ou apartamento

Vantagens e desvantagens de criar os filhos em uma casa

Basta que as crianças cresçam um pouco mais para que os pais sejam soterrados por uma enxurrada de dicas, trazidas por amigos e familiares, cada uma contendo o segredo definitivo da melhor forma de criar os seus próprios filhos.

A frase clássica “vocês precisam sair do apartamento e ir para uma casa espaçosa” carrega um dos discursos mais comuns. E, apesar de ela não ser 100% descartável, a disposição de mais espaço nem sempre significa que as crianças vão estar envolvidas em mais atividades.

Mais espaço

Casas normalmente têm mais espaço livre por conta de quintal (as que possuem). Mas será que mais espaço significa, realmente, que os filhos estão participando de mais brincadeiras ao ar livre?

Não necessariamente. É fundamental que as famílias acompanhem as atividades que os filhos estão exercendo. Ter um quintal pode abrir a imaginação para mais brincadeira, mas isso, nem de longe, pode ser motivo para que os passeios fora de casa parem de acontecer.

Menos segurança

Dentre as desvantagens está a falta de segurança. Moradores de casa estão mais vulneráveis do que aqueles que moram em apartamento, o que não é uma boa notícia sobretudo para quem tem filhos pequenos.

Ter um quintal grande não significa diversão garantida, o que pode levar crianças a desbravar a rua. Carros, ônibus e pessoas mal intencionadas são alguns dos perigos dos quais os pequenos estão expostos nesse ambiente.

Vantagens e desvantagens de criar os filhos em um apartamento

Aquela ideia antiga, bastante repetida pelos mais velhos, de que apartamento e criança não combinam, tem mudado drasticamente. Os empreendimentos residenciais atuais destinados a famílias já são projetados para atender às necessidades de lazer e interação que as crianças demandam.

Menos espaço

Será?

A impantação de áreas de lazer, piscinas, academias e vários outros itens, tem o papel de suprir a necessidade de espaço, qualidade de vida e de integração entre famílias e condôminos. Afinal, espaço bem aproveitado é melhor do que apenas espaço disponível.

Áreas de lazer destinadas ao entretenimento dos pequenos.

As brincadeiras são de uma importância para o desenvolvimento motor, social e capacidade emocional das crianças. E sabendo do poder de influência do bem-estar dos pequenos diante da decisão de compra dos pais, empreendimentos investem cada vez mais em espaços destinados ao público infantil.

Dentre as áreas comuns destinadas a atividades lúdicas para as crianças, playground, piscina, brinquedoteca e salão de festas são as mais comuns.

Mais segurança

Os assaltos à residência aumentaram 70%, um número alarmante. Ou seja, se a casa não estiver localizado dentro de um condomínio, a segurança acaba ainda mias fragilizada.

Apartamentos são três vezes mais seguros do que casas em condomínio, que são, por sua vez, duas vezes mais seguras do que casas térreas térreas localizados em ruas abertas.

Hoje em dia é comum que condomínios sejam equipados com segurança 24h, incluindo guarita e câmeras de vigilância registrando dia e noite qualquer movimentação suspeita em suas dependências. Isso tem aumentado, e muito, a procura por apartamentos. Afinal, o Brasil é um dos países onde a população sente mais medo da violância em todo o planeta.

Qual pai ou mãe se sentiria tranquilo em sair de casa para trabalhar, sabendo que os filhos não estão em segurança? Por isso, os fatores apresentados acima e outros devem ser levados em consideração.

Entre os jovens solteiros, o apartamento studio já é uma tendência no Brasil, como escolha da primeira moradia. Em razão da maior segurança e de toda a estrutura oferecida, os prédios também são a escolha mais assertiva para família com crianças em grandes centros como São Paulo.

Claro que essa é uma decisão que só você poderá tomar. Casa ou apartamento, o importante é o seu pequeno saber quais são seus limites e o que ele pode, ou não, fazer por aí.

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
saiba como lidar com seu filho pré-adolescente

Oie,
A fase da pré-adolescência, que engloba a faixa dos 10 aos 13 anos, não é um momento fácil. O período é de imensas transformações que mexem tanto com o lado físico como o psicológico, quando há maior interesse pele sexualidade, ainda que o fluxo mental continue mantendo-se no nível do brincar. E quando seu filho chega a esta fase turbulenta, é hora de saber como agir, sem desrespeitar este momento tão importante da vida dele.
Os pais devem compreender que esse é um período de mudanças fundamentais no gosto e nas características comportamentais dos filhos. Ao compreender esta transformação, os pais devem tratá-la como algo natural e, em vez da repressão, apostar na orientação.
saiba como educar um filho na pré-adolescencia
Nessa fase, as regras devem ser estabelecidas, pois é agora, entre a infância e a adolescência, que os filhos devem incorporar os limites. Caso contrário, quando adulto, seu filho terá baixa capacidade de suportar frustrações e não saberá lidar com os desafios da vida.
Tanto as concessões como os limites devem ser estabelecidos de acordo com situações e comportamentos do pré-adolescente que, geralmente, tende a confrontar os pais.
As influências dos amigos começam a aparecer com bastante frequência, o que torna ainda mais importante conhecer a turma do seu filho, tanto para saber com quem ele está andando como para entender suas novas preferências e intenções.
Uma dica importante é incentivar a prática da atividade física, que favorece o desenvolvimento social e corporal, preparando o pré-adolescente para completar sua maturação no final da sua adolescência.
filhos na pré-adolescencia
Vale lembrar que o vínculo de confiança mútua se estabelece quando os pais contam um pouco sobre a própria adolescência e passam também a escutar seus filhos de uma forma menos crítica e autoritária.
É fundamental se mostrar presente, sem parecer intrometido, respeitando o momento de ouvir e o momento de silêncio e de intimidade do filho. Em vez de ajudar, o questionamento constante e inquistionário pode gerar apenas ansiedade, medo e insegurança. Há situações em que tudo o que o pré-adolescente precisa é refletir sozinho.
como deve ser a educação na pré adolescencia
Espero muito que você tenha gostado!
Super beijo,
Compartilhar este post
tenha tempo para as crianças

Oie,

Todo mundo sabe que brincar com os filhos é importante, tanto para estimular o desenvolvimento da criança, quanto para interagir e fortalecer o vínculo entre pais e filhos. Mas com a rotina diária, nem todos os pais dispõem de tempo ou ânimo para brincar e dar atenção ao filho sempre que ele solicita.

separe um tempo para brincar com as crianças

Pensando nisso, neste post vou listar cinco dicas práticas para facilitar e tornar a hora de brincar ainda mais prazerosa.

momento entre pai e filho

1 – O brincar nem sempre é algo individual e mesmo que alguns jogos sejam utilizados individualmente, como os de encaixes e quebra-cabeças, a brincadeira em conjunto é possível, com os pais próximos, ainda que apenas para observar.

2 – As brincadeiras de infância dos pais, podem servir como ideias e brincadeiras para os filhos. Que tal resgatar uma brincadeira da sua infância e apresentar aos seus filhos? Ou então, faça uma lista das brincadeiras preferidas de cada um e elejam qual será a brincadeira do dia ou do momento.

3 – Converse com a criança e cheguem juntos a um acordo para escolher a brincadeira. Explique que você prefere brincar de outra coisa, não de bola, por exemplo, e que isso ela pode fazer em outro momento, com os amigos. Eles vão entender e para eles, é mais importante a presença do que o tipo de brincadeira em si. Vale lembrar que brincadeiras não se limitam exclusivamente a correr, pular ou jogar bola, por exemplo, uma história ou uma animada partida de jogo também são ótimas opções.

4 – Reserve um tempo do seu dia para brincar com os filhos. Isso é importante para exercitar a criatividade, descobrir os gostos de cada um, interagir e fortalecer o vínculo entre vocês. Caso não seja possível organizar uma brincadeira, opte por ler uma história, fazer um desenho, ver algum livro interessante. Isso também fortalece laços importantes na infância. A criança se sente acolhida, compreendida e amada ao receber essa atenção e carinho.

5 – Por fim, a ideia é sempre que na hora de brincar, pais e filhos se divirtam juntos! É isso que aproxima e possibilita um conhecimento mútuo. A criança constrói sua visão de mundo a partir do que ela vive e depois representa em suas brincadeiras. Por isso, é importante que esse aspecto fundamental para o desenvolvimento infantil, não seja esquecido pela correria da rotina não só dos pais, mas das próprias crianças.

brincadeiras entre pais e filhos

Espero muito que você tenha gostado dessas dicas!

Super beijo,

 

Compartilhar este post