dicas para economizar na Black Friday

Oie,

A Black Friday, segunda data mais importante do varejo brasileiro está chegando!

aproveite a Black Friday 2018

No próximo dia 23 de novembro acontece mais uma edição da Black Friday, data que caiu no gosto dos consumidores brasileiros e vem crescendo a cada ano, por conta dos descontos que podem chegar a até 80%. A expectativa é de um aumento de 15% nas vendas em 2018, segundo dados do E-bit, sendo que as categorias mais procuradas devem ser: eletrônicos (39%), eletrodomésticos (33%), artigos de telefonia e celular (25%), informática (24%), moda (19%) e cosméticos (18%).

Black Friday

Para os compradores, é uma excelente oportunidade para adquirir os produtos que desejam com um preço mais em conta. Pensando em ajudar o consumidor a economizar ainda mais, o Reduza, plataforma que reduz preços em lojas da internet, compartilhou algumas dicas importantes com a gente:

1 – Defina o que você quer comprar

O primeiro passo é definir o que quer comprar, para não correr o risco de adquirir algo que não precisa. Navegar na internet em busca de promoções na Black Friday é como andar em um shopping cheio de tentações e isso pode acabar te levando a uma compra por impulso.

2 – Programe-se

Após definir o que irá comprar, o próximo passo é se programar. O tempo é o melhor amigo do consumidor na hora de comprar mais barato, pois permite acompanhar e monitorar baixas de preços e promoções, principalmente em datas especiais como a Black Friday.

3 – Compare e monitore os preços

Encontrou uma super promoção? Cuidado! Neste caso, use as ferramentas da internet a seu favor. Com o Buscapé, Zoom, Google Shopping ou Reduza, é possível comparar o preço de determinado produto e analisar o seu histórico de preço, identificando se o valor é realmente interessante.

4 – Compare e monitore o valor do frete

Os comparadores de preços entregam o menor valor, porém, eles não consideram o frete, que pode representar até 40% do valor total de seu pedido, além de variar em até 400% de uma loja para outra. Então, faça o teste do frete em diferentes lojas para encontrar o menor preço. Talvez o produto em uma loja mais em conta não compense o valor que pagará pelo envio.

Outra opção é comprar na internet e retirar na loja. Redes como Magazine Luiza, Casas Bahia, Extra e Centauro já trabalham com esse modelo de entrega e algumas ainda oferecem descontos extras na modalidade.

5 – Use fóruns, grupos e comunidades de promoções e descontos

As lojas realizam diversas promoções que, muitas vezes, não chegam aos comparadores de preços, ou porque o estoque é limitado ou porque as plataformas não acompanham em tempo real, as ofertas da Black Friday. E aí entra o poder das comunidades, fóruns, grupos de Facebook, WhatsApp, em que as pessoas apaixonadas por promoções divulgam as melhores ofertas 24 horas por dia.

6 – Acompanhe e-emails promocionais

Por ser um canal de comunicação direta com os clientes, as lojas enviam e-mails promocionais todos os dias, com ofertas e preços exclusivos. Portanto, uma dica é se cadastrar nas newsletters dos estabelecimentos nos quais costuma efetuar suas compras parar receber os descontos, pois ali estarão as melhores promoções. Inclusive, durante a Black Friday, muitos comerciantes costumam enviar alertas especiais para a data.

7 – Use cupons de desconto

Com os cupons de desconto é possível economizar até 30% no valor da compra. Hoje, existem muitos sites que disponibilizam esses vouchers, como Cuponmania, Saveme, Cuponeria. O Cupom e o Reduza fazem os testes de cupom de forma automática.

8 – Pague à vista ou com os cartões das lojas

Pagar à vista é sempre mais vantajoso, pois o custo de operação para uma compra parcelada é bem maior. Por isso, a maioria das lojas oferecem descontos de até 15% para quem for pagar à vista (por boleto ou em 1x no cartão de crédito e/ou débito).

Outra maneira de conseguir preços mais atraentes é por meio dos cartões das lojas. Redes como Americanas, Submarino, Carrefour e Netshoes têm seus próprios cartões e preços exclusivos para quem compra com eles. A economia pode chegar a 20%.

9 – Cashback e programas de fidelidade

Existe outra possibilidade que é ganhar parte do valor que pagou de volta. Os programas de Cashback devolvem parte do dinheiro, com o intuito de reter e fidelizar o cliente, fazendo com que ele volte a comprar. As lojas Americanas, Submarino e Shoptime oferecem até 25% de volta, por meio do programa AME.

A compra também pode render pontos/milhas em programas de fidelidade. Para isso, ao finalizar a compra, o consumidor pode informar o CPF para receber esses créditos que futuramente podem ser trocados por produtos ou viagens.

10 – Pare e reflita

E a dica final: antes de pagar o boleto ou fechar a compra, faça uma avaliação e veja se realmente precisa do produto ou se está comprando apenas para não deixar a Black Friday passar em branco.

Black Friday 2018

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
saiba como vender seu carro usado

Oie,

Fazer um bom negócio quando o assunto é vender um carro usado é algo que exige alguns cuidados, como, por exemplo, a definição do preço do veículo. Em muitas ocasiões, a quilometragem é o único critério a ser usado pelo vendedor para chegar em um valor justo do seminovo.

Fabio Pinto, especialista em carros e CEO da Carflix, explica que a quilometragem não é único critério que influencia o preço do seminovo. A depender do veículo, até a cor pode deixar o carro mais ou menos valorizado.

O tipo de uso do carro e sua conservação são características que podem se sobrepor à quilometragem. De modo, geral, o mercado considera de 10 a 15 mil km rodados por ano, a média ideal para que um carro não seja considerado desgastado. A rodagem também é um dos critérios para definir se um carro será considerado um seminovo ou um usado, entretanto, se o automóvel não estiver bem conservado o valor do seminovo tende a ser mais baixo mesmo se o carro estiver pouco rodado.

saiba quanto vale seu carro usado

Usada como referência para tabelar preços de carros novos e usados, a tabela FIPE é o principal indicador para fazer cotação de valores de compra ou de venda de veículos. Este material serve como referência para quem não tem ideia de qual o valor do seu automóvel, mas o preço final pode ser diferente a depender de outros fatores como estado de conservação, acessórios e até cor do veículo.

Confira outros fatores que influenciam no valor do carro:

Estado de conservação

Além da rodagem, o vendedor precisa fazer uma minuciosa inspeção nos pneus, motor, interior e lataria. Em alguns casos, a quilometragem pode até não influenciar tanto no preço do carro, desde que seu estado de conservação esteja satisfatório.

Acessórios

A presença de acessórios também deve ser avaliada na hora de definir um valor para o automóvel. Por exemplo, se o carro não tinha ar condicionado de fábrica e passou a ter, tal melhoria vai fazer com que o preço aumente.

Cor

Um fator que passa despercebido para o vendedor de um carro usado é a sua cor, que erroneamente é considerado apenas um fator estético. Isso porque existem cores que conseguem manter a aparência de novo por mais tempo, como o cinza, prata e tonalidades. Automóveis pretos também são vantajosos, pois evidenciam seu bom estado se estiverem bem conservados. Já os brancos sofrem maior desvalorização, pois sujam com mais facilidade e deixam mais expostas eventuais falhas na pintura.

Depreciação

Por determinação da Receita Federal, todo automóvel de passeio sofre depreciação de 20% em todo o ano em relação ao preço do ano anterior. Esse percentual, depois da tabela FIPE, é o principal índice a ser considerado para cotar o preço de um veículo para venda.

saiba tudo sobre como vender seu carro

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
dicas para cuidar com o cachorro no verão

Oie,

A estação mais quente do ano está se aproximando e, apesar de ser um período onde as pessoas saem mais de casa, os cachorros podem sofrer bastante com o aumento da temperatura. Por conta disso, os donos de cachorros devem ter alguns cuidados com eles no verão, principalmente na hora de passear nas ruas com asfalto quente e debaixo do sol escaldante.

como cuidar do cachorro no verão

O passeador e adestrador, Cássio Brito, cadastrado no GetNinjas, maior plataforma de serviços da América Latina, compartilhou algumas dicas sobre o assunto com a gente. Confira:

Passeios

O melhor horário para sair com o cachorrinho na rua é na parte da manhã, das 7h às 9h, ou das 18h em diante. Se não for possível sair durante esses horários durante o dia, tente sair à noite, nem que for durante 15 minutos, para fazer pelo menos um passeio por dia e sair um pouco de casa.

Para os cachorros mais peludos e os que têm maior dificuldade de respirar, a caminhada deve durar no máximo 20 minutos por conta das altas temperaturas.

cuidado com o cachorro no verão

Outras opções de diversão

Além dos passeios, dependendo do local que a pessoa reside, há opções de creche e centro de adestramento onde os cães podem brincar, e alguns locais com piscina para eles se refrescarem. Porém, é necessário tomar alguns cuidados como protetores específicos para cachorros que têm pelos mais brancos e também evitar de deixar os cachorros mais peludos molhados por muito tempo, pois pode trazer problemas para pele.

cuidados com o pet no verão

Hotéis no litoral

Atualmente, muitos hotéis no litoral são pet-friendly e aceitam bichos de estimação. Eles estão preparados para atender, e muitos possuem até mesmo locais próprios para eles brincarem e descansarem também. O único cuidado necessário é com a praia. Muitos locais permitem a entrada de animais na praia, mas alguns proíbem. É necessário ficar atento. Além disso, eles ficam mais propensos a contraírem doenças pelo contato com areia e água.

dicas para cuidar dos cachorros no verão

Alimentação e hidratação

Primeiramente, é importante manter sempre seu pet hidratado com água e até mesmo água de coco. Em relação à alimentação, é interessante congelar algumas polpas de frutas, evitando as ácidas, e também alguns alimentos salgados, como carne moída, por exemplo. Além deles ficarem refrescados comendo comidas saudáveis, é uma forma de brincadeira para eles, pois escorrega e eles ficam mais tempo entretidos.

saiba como cuidar do cachorro no verão

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post
saiba tudo sobre o alongamento de cílios

Oie,

Ter um olhar poderoso com cílios volumosos, curvados e alongados é o desejo de muitas mulheres. E graças a extensão de cílios isso é possível. A técnica já caiu no gosto da mulherada e está longe de sair de moda. Indolor, requer apenas alguns cuidados diários e manutenção em média a cada 20 dias.

Para falar sobre o procedimento e tirar dúvidas, batemos um papo com Vivian Kawamoto, visagista do Olhar no Viva La Vida Beauty Spa, em São Paulo.

alongamento de cílios

Confira:

Combina com todo mundo

A técnica é indicada para todas as pessoas, com qualquer tipo de olhar. As restrições são apenas para pessoas com alergia a determinados tipos de cola (como a usada no micropore) ou metais (por conta da utilização de pinças), que sofrem de queda capilar ou de problemas oculares. Antes de a pessoa realizar o procedimento é feito um visagismo do olhar, com esta técnica é possível escolher o formato mais indicado. Ele auxilia a pessoa na hora de escolher qual extensão fazer, se para aumentar olhos pequenos e fechados ou diminuir os olhos grandes e arregalados. Assim como camuflar pálpebras superiores caídas ou inchadas, juntar olhos separados, suavizar o olhar.

Técnicas disponíveis

No Brasil existem três técnicas muito utilizadas. A queridinha do momento é a fio a fio, indicada para pessoas que gostam de um olhar mais natural, despojado, ou para aquelas que ainda estão se acostumando com a ideia de cílios novos. Outra técnica é o volume russo, indicada para quem gosta de chamar a atenção e obter um olhar marcante. Já o alongamento de cílios hibrido é uma mistura de duas técnicas, fio a fio e volume russo.

Saúde dos olhos

Para garantir cílios lindos e perfeitos é fundamental agendar uma avaliação antes de iniciar o procedimento. Neste atendimento é verificada a saúde dos fios, além do histórico de saúde geral da pessoa para verificar determinados tipos de alergia, problemas oculares etc.

Queda dos fios

Os cílios tem um ciclo de vida de dois a três meses. Eles vão caindo ao longo desse tempo naturalmente e repostos em seguida, como acontece com os cabelos. É importante ressaltar que o alongamento de cílios não ocasiona a queda dos fios naturais. Existem vários tamanhos e espessuras que são escolhidos de acordo com a estrutura dos fios de cada pessoa, respeitando sua saúde e seu crescimento. A cola usada no procedimento é própria para os cílios e a colagem é feita com uma distância segura da raiz e da pálpebra. Os cuidados com higiene, em casa, também são muito importantes e podem evitar a queda dos fios.

Qualidade dos fios

Os fios usados na extensão podem ser naturais ou sintéticos e ambos são muito semelhantes aos cílios humanos. Os naturais são provenientes do pelo de marta (animal do gênero Mustela). Porém, os mais usados são feitos de plástico (chamado o PBT), seda, fibra ou uma mistura deles, pois ficam mais leves, brilhantes e mais resistentes à água e temperatura.

É indolor

Outra questão importante é em relação a aplicação dos cílios. A técnica deve ser indolor, sem coceira e ardência. Como a técnica demora de duas a três horas, é fundamental que o ambiente proporcione a cliente conforto e relaxamento.

Pós e higienização

O procedimento traz muita praticidade, porém cuidados específicos após a aplicação são essenciais. A primeira recomendação é não molhar nas primeiras 24/48 horas e quando lavar, sempre utilizar um shampoo de bebê. Além disso, é preciso pentear os cílios, com escovinha própria, duas vezes ao dia e nunca usar produtos com óleo na composição na região. Caso a pessoa use maquiagem na região como sombra ou delineador, é preciso higienizar com água micelar ou lenço umedecido.

Adeus rímel e curvex

A utilização de máscaras de cílios não é necessária, pois as extensões já marcam o olhar e dão o mesmo efeito das máscaras. O mesmo vale para o curvex, pois as extensões já possuem curvatura.

Manutenção

A manutenção também é muito importante, ela irá garantir a beleza dos cílios alongados e deve ser feita de 15 a 25 dias. Com a extensão de cílios a pessoa pode levar uma vida normal. Entrar na piscina, no mar… O único cuidado deve ser na hora de secar os olhos, sempre com delicadeza, sem esfregar.

Custos

O valor das extensões de cílios varia de R$180,00 a R$450,00 de acordo com a região. E as manutenções, que devem ser feitas a cada 15 a 25 dias, varia de R$90,00 a R$290,00, de acordo com o intervalo de tempo e a região também.

mitos e verdades sobre alongamento de cílios

Espero muito que você tenha gostado!

Super beijo,

Compartilhar este post